A depressão é uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo. As mulheres são mais afetadas que os homens. Estudos científicos têm investigado a prevalência de depressão e seus sintomas em diferentes populações e em diferentes países. A prevalência de depressão também foi estudada em diferentes populações de pacientes, como pacientes com câncer, em tratamento clínico ambulatorial, com doenças do sistema digestivo e com dor crônica. Esforços têm sido feitos para identificar os fatores que causam a depressão.

A dor lombar (DL) é um dos problemas de saúde pública mais comuns em todo o mundo, o que acarreta muitas consequências socioeconômicas. Mais de 70% da população em geral nos países industrializados apresenta DL durante alguns períodos de suas vidas. Muitos casos tornam-se crônicos. DL é um fator no aumento dos problemas sócio econômicos e de problemas de saúde. 

É a primeira causa de incapacidade ocupacional e afeta a maioria dos adultos. DL é o tipo mais comum de dor musculoesquelética que causa incapacidade nas pessoas afetadas e pode levar a incapacidade crônica, redução da qualidade de vida, problemas econômicos, emocionais e muitas outras deficiências. Fatores psicológicos desempenham um papel na formação desta incapacidade.

De acordo com estudos e diretrizes sobre DL, fatores psicológicos – especialmente depressão – pode afetar a reabilitação dos pacientes e os resultados de seu tratamento. Muitos estudos verificaram os efeitos da depressão no início ou exacerbação de DL. Vários estudos também examinaram os efeitos da depressão na lombalgia e mostraram o papel desse transtorno na piora da dor lombar. Há evidências que sugerem que o tratamento da lombalgia pode melhorar os sintomas de depressão. Um estudo de revisão sobre o tratamento da depressão em pessoas com lombalgia realizado pelo The International Journal of Psychiatry in Medicine mostrou que esses pacientes podem ter boas respostas terapêuticas com tratamento psicológico e terapias medicamentosas. A depressão pode afetar o aparecimento ou agravamento da dor nas costas e, por outro lado, a dor nas costas pode desencadear depressão e agravá-la.

A dor nas costas afeta grande parte da população. Existe uma relação potencial de dor nas costas com o surgimento e exacerbação de doenças psiquiátricas, especialmente depressão. As pessoas que apresentam mais sintomas depressivos também apresentam mais dor nas costas; em outras palavras, a dor nas costas está associada a um risco aumentado de sintomas depressivos.

Os estudos mostram que tratar a dor nas costas de quem tem diagnóstico de depressão melhora os sintomas da depressão e tratar a depressão melhora os sintomas de dor nas costas.

Assim, fica claro que o paciente com depressão e lombalgia deve ser acompanhado por equipe multidisciplinar e ser tratado da depressão e da lombalgia, uma vez que, uma interage diretamente com a outra. No IC Ortopedia e Reabilitação temos especial atenção e programas diferenciados para atendermos estes pacientes.

 

Drª. Alessandra Almeida

Contato pelo WhatsApp
Contato por Telefone
Nós ligamos para você!